quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Judiação

Não é difícil prever o desfecho da atual situação:
"a ambulância está aqui parada"
Diria talvez o nosso secretário, que o município precisa muito mais do que o distrito... tudo é questão de demanda, seria talvez essa a sua opinião.
Estatísticas amparariam essa afirmação, como também garantiriam a nossa segurança e a nossa prevenção?
Não! Dizemos nós, moradores.

Morramos por falta de socorro rápido, como bebês já se foram, como Joelmas, Roselis e Clarices não conseguiram esperar.
"São as agruras de quem opta por viver aqui"
Talvez queira o secretário que pensemos assim.
Não! Não nos impregnará com a sua falta de conhecimento e o seu descomprometimento. Não nos driblará com seu jogo de bola vazia e chutes ineptos.

Sabemos nós que o papel dele seria cuidar do Distrito. Muito mais e muito melhor do que todos os outros do passado cuidaram, já que para ele foi criada uma secretaria. Engana somente os que gostam de ser enganados.

É a posição equivocadíssima e desinformada do dono da bola que não rola, que administra sem entender de administração, que se deixou prender na fala que desconstitui os deveres do poder público, fala mais uma vez incauta, que andou circulando num certo vazamento de águas fétidas de um túnel de voz. Posição lamentável para nós.

Equipe de socorro, é coisa muito cara... vou esperar a poeira voltar ao chão...até que se acalmem os ânimos em aflição... mais tarde eu entrego novamente o veículo ao município, afinal sou eu quem tomo a decisão... assim que parar a reivindicação... lá na cidade precisam mais, e aqui ela está inutilizada... vai deteriorar, judiação! Falta a equipe de resgate, isso é coisa muito cara, ressurge a resposta sem justificação... Alfredo Guedes não precisa de socorro rápido... havendo a necessidade o povo espera o veículo de Lençóis Paulista. Há de dar tempo, rezarão!
Por acaso não nos é dado algum tipo de isenção?
Não.
E o povo do distrito? 
Judiação.
Há quem chame de revolta, por conta de eu ser mulher, negra, funcionária pública (com muita honra!) e oposição. Eu chamo de reflexão.

                                                         guardiadelendas.blogspot.com
                                                         Célia Motta.

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

? ? ?

? ? ?
E agora a ambulância está conosco, na nossa unidade de saúde.
Entretanto, sem uso, pois ainda nos falta a equipe de resgate. A população aguarda pela devida efetivação dos serviços.

                                 guardiadelendas.blogspot.com
                                                                   Célia Motta

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

Cadê a ambulância?

E na onda das notícias que são , mas nem tanto; na onda das coisas que poderiam ser, talvez algum dia; na onda, pela centésima vez, das coisas que o Distrito "ganha" mas não "leva"... eis os absurdos que deveriam brotar vergonha na Casa de Leis:
Nas redes sociais e do lado de dentro de todos os portões das moradias de Alfredo Guedes, talvez até nos imóveis públicos ocupados, circularam aos quatro ventos e a todo vapor, pela nau do legislativo (óh!); panfletos de uma publicidade marqueteira que ao final de tudo, não vingou:
Dois parlamentares davam conta da entrega de uma belíssima ambulância para Alfredo Guedes.


Mas, os entretantos e os pormenores não viabilizaram a efetivação do negócio:
NÃO HÁ EQUIPES DE RESGATE TREINADAS PARA SE EFETIVAR A ENTREGA DO VEÍCULO QUE A PRIORI, FICARÁ NA REALIDADE, EM LENÇÓIS PAULISTA.
Falsas notícias que vão nos enredando nas artimanhas dos politiqueiros que deturpam a política e colocam descrédito e desconfiança nos ideais do eleitorado.
Situações dessa falta de calibre desencadeiam o desdém pela escolha de gestores... é a falácia pública.
De temores em temores Alfredo Guedes vai sobrevivendo aos trancos e barrancos.
Ademais, ainda que estando no Distrito, nenhum dos parlamentares nem pensou em investigar as INVASÕES dos imóveis PÚBLICOS do Distrito?
É o cúmulo do absurdo. Muito mais do que ir atrás de verbas, o papel constitucional de vocês É FISCALIZAR. Parem de inércia e digam a que foi que foi que vieram.
Paira a seguinte dúvida entre nós guedenses: isso saiu de um dos Contos da Carochinha ou foi lançado da Caixa de Pandora?

                                                                          guardiadelendas.blogspot.com
                                                                          Célia Motta.

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

"Na terra de Abrantes, o que configura (ou não) invasão"

E nos escondidos recônditos dessa estranha nação, face a ineficiente política pública de habitação, vejamos as prováveis alegações para uma mesma questão:

-Para justificar certas circunstâncias: O IMÓVEL ATENDE A SUA FUNÇÃO SOCIAL? NÃO!
Ou...
-Para olhares atentos que observam tudo o que vem ocorrendo no local, vê-se as claras que NÃO HOUVE INVASÃO. Sem arrombamentos, sem maçanetas ou janelas quebradas, nem nenhum tipo de violência empregada, configura sim, PREVARICAÇÃO.

O mesmo se deu com o tal restaurante do Quartel de Abrantes.
Chaves caem do céu em lugar oportuno e certeiro!
Óh! Reduto de memórias, transformado em vil celeiro.
Acordos pitorescos "permitem" situações atípicas por meses e meses sem a devida comunicação ao poder público. Para que mesmo serve a tal Secretaria? Ou seria, para "quem" serve a tal Secretaria...
No passado, sem esse gasto extra da inócua Secretaria que não existia, a nossa população jamais tanto escândalo via.
É a lei amparando as infrações, para que tudo permaneça como dantes.
São as nomeações improdutivas na terra de Abrantes.

                                                    guardiadelendas.blogspot.com
                                                    Célia Motta,
                                                    estupefata, cidadã guedense.

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

#ogritodoDistrito

E um dia a guardiã parou de sussurrar poesias.
Os ventos então, cresceram e viraram ventanias, traziam palavras e segredos sombrios, contos horrorosos... homens assombrosos transformavam as nossas lendas em trevas e sombras.
Desde os dias em que a nossa história e a nossa cultura começaram a empobrecer. Desde o dia que o quilate de nossos valores começaram a ruir.
A ruína começara quando o predador tomara posse das nossas minas de preciosidades.
O caos começara a partir do dia em que a Raposa recebera a tarefa de cuidar do galinheiro.
Tudo agora é desolação e ilegalidade.
Prédios públicos virando moradia.
A história e a memória servindo a interesses particulares.
Materiais públicos recicláveis, destinados aos interesses privados.
A madrugada denuncia conluios noturnos, enredos de irregularidades, parcerias escusas de dúbios interesses.
As barganhas multiplicam-se pelos cantos.
Tudo pode.
Como pode?
Perguntando isso a tantos e tantas, ninguém sabe responder.
O que segura toda a disparidade do lacaio sem em nada mexer?
O que será que dita e sustenta toda a desordem e todo o retrocesso?
Que diabos desencadeiam tanta vista grossa?
Que diabos normalizam a podridão dos poderes?
Que diabos normatizam a ausência de normas?
Que diabos viabilizam a quebra do direito?
Ninguém responde.
Ninguém sabe... eu também não sei.
Só se sabe que assim é por aqui.
                                                                                        guardiadelendas.blogspot.com
                                                                                        Célia Motta





segunda-feira, 2 de setembro de 2019

"Eu só sei que era assim"


Era uma vez uma terra de ninguém.
Era uma vez gente que apoiava, pois via algum benefício no poder de quem os ludibriava.
Era uma vez a vergonha medonha.
Era uma vez a negligência estabelecida.
Era uma vez o estridente som do desmando.
Era uma vez uma invasão. Era uma vez outra invasão.
Era uma vez o esquecimento do pedido de reintegração.
Era uma vez a barganha.
Era uma vez a lambança.
Era uma vez o sumiço de materiais públicos, era uma vez tornar isso público.
Era uma vez o estabelecer do medo.
Era uma vez a imposição do silêncio.
Quanta peçonha.
Era uma vez... era uma vez... um dia será a vez em que se aguardará o cair da casa, o ruir dos poderes e a cascata dos dentes.
Era uma vez a ameaça.
Era uma vez a trapaça.
Lá na frente, ficará para a história somente o "era uma vez".

                                                                                        guardiadelendas.blogspot.com
                                                                                         Célia Motta.





segunda-feira, 26 de agosto de 2019

"Sobre a cotovia, eu tinha razão, todavia"

Ah! Como fica meu coração em comprovar que eu tinha mesmo razão.
Eu queria estar errada sobre a cotovia sobrecarregada.


Mas olhe o resultado, enquanto ao trabalho ela não retorna. Vejam a reação do capataz da casa grande.
A cotovia sempre labora solitária.
Os canários quando vão, seguem motorizados em grupos de quatro, recolhem as folhas, subordinados.
Alinhados ao canário guia, que leva o seu possante trator, sentem de fato o puxado labor.
Se assim não fosse preciso, qualquer cantante canário, voaria sozinho por entre as ruas produzindo o mesmo que a cotovia exemplar.
Mas não, sabem os canários e sabe melhor o sagaz capataz, que mais de um ali são necessários:
-um trator;
-um guia;
-e mais duas aves de apoio de cada lado, sobem e descem munidos de vassoura e pá, cada um com um lado da rua
-mas ainda há um terceiro pássaro para dedicar-se ao auxílio da cata.
Varrem, varrem e recolhem.
Assim rende, assim não cansam, assim mais tempo sobra para a servidão que ao capataz se estende em profunda cantoria e bajulação.
E para essa decisão? Não será necessário consultar o ato administrativo, através de pesquisa a população?
Ela, a cotovia, tudo pode sozinha.
Eles, os canários, todo o suporte merecem.


Ele, o capataz do principado, é quem define.
Ao retornar de seu pequeno exílio, vejamos como será a labuta da solitária e polivalente cotovia.
Será que também terá a sua necessidade reconhecida pelo capataz?  Do mesmo suporte, será a cotovia favorecida?
São cenas do recôndito.
Recôndito esquecido e deixado a certas espertezas e escolhidos espertalhões. Dias de dores e canastrões, semeados em todos os rincões.
Observemos os dias que passam, pois não é coincidência que daqui para a frente as canalhices aumentem, as falas irrefletidas e ignóbeis se espalhem, ideias débeis despontem para com as campanhas do ano que vem, construírem a ponte.
Tapas nas costas, cervejadas e churrascadas despontam por aqui já, já. E agora essa politicalha já tem até lugar certo.


                                                                            guardiadelendas.blogspot.com
                                                                             Célia Motta, cidadã guedense.

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

"Doutros, noutros e aqueloutros"

Doutros, noutros e aqueloutros!
Algumas coisas, por aqui jamais acontecem.
Algumas necessidades, jamais nos são preenchidas.
Em todas as vezes, é como se fôssemos absolutamente isentos do pagamento dos impostos, ou como se recolhidos para outro município, eles fossem.
Cria-se pastas, nomeia-se pessoas, afloram os cargos.
Mas os nossos direitos, mesmo frente ao cumprimento de nossos deveres, não são respaldados.

Até acontecem, porém, noutros cantos, para aqueloutros... tudo doutros!
Sem oposição, tudo é omissão, por vezes emoção não nascida no coração, mas brotada da terra do cão.
Sem imprensa, não se pensa, não ao menos para a correta execução.

Cadê a oposição? Cadê os membros da oposição?
- Dirigindo pastas da situação. Parece piada, mas não é não.
Receberam do povo uma procuração para no legislativo cumprirem a sua missão. Renunciaram, não legislaram e nas pastas eles estão.
Eu, se eleitor deles fosse, os teria em conta de alta traição.
No entanto, em relação à oposição, cumprimento Dudu e Paulinho, que bravamente guerreiam sozinhos no ninho. Por eles, além de minha consideração, renovo minha esperança no verdadeiro objetivo do legislativo, que é a fiscalização.

Cadê a imprensa local?
-Dando suporte à situação atual. Discrição máxima diante do contexto factual.

E em necessidades e ânsias, nós daqui esperamos, esperamos e nunca chega a nossa primordial AMBULÂNCIA.
Argumentam que aqui falta demanda. Mas pessoas já partiram por falta de socorro imediato e adequado. Bebês, inclusive. Munícipe é munícipe e sujeito de direito, com demanda alta ou baixa.
É questão de vida ou morte. É, ou deveria ser, questão de cidadania.
Há sim, uma precária condução da pasta da Saúde para o transporte de pessoas. Uma vez dentro dela, haja, reza, mandinga e oração para que ela não quebre. Do contrário, não haverá tempo hábil para o problema ter uma feliz conclusão.

Incrível é que já fomos contemplados com uma ambulância!
Mas para nós, ela não chegou, no município
 ficou.
Se ganhamos?
-Sim, nós ganhamos. Apenas não levamos. Não nos foi entregue.
Tudo doutros.
Noutros.
Aqueloutros.

Entretanto, na pasta da Educação, tivemos até inauguração! Bela escola! Período integral! Muito mais orientação e informação! Vivas!!! Com os estudantes, toda a preocupação!!!
Ah! Eu quase me esquecia, o programa começou a ser implantado, digo, a sua documentação, na anterior Administração. Outrossim,
faltam motivos para "vivas" e muito menos para admiração.



                                                                                     
                                                                                       
                                                                                          guardiadelendas.blogspot.com                             
                                                                                          Célia Motta, cidadã guedense.












quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Quanto valem 4 famílias???

Curiosas as passagens do charmoso Distrito.
Inquietantes questionamentos despertam em minha alma sobre os destinos de nosso lugar.
Algo sussurra em meus ouvidos, algo arrepia minha coluna e brota em forma de inquirição, deve ser o amor intenso e vivo por esse chão.
Se um tapete de asfalto arranca pedras públicas e históricas, as carrega para calçamento de propriedades particulares (é o que se fala ainda hoje), descarta parte delas como entulho e lixo em arrebaldes sombrios, condenando a tradição e a cultura local à obscuridade, por qual razão seria, que tal poder asfáltico não se sobressairia para asfaltar uma pequena rua de uma comunidade de extrema periferia?
Será que é por ser pequena? Ah! Apenas 4 famílias!
Ali idoso já caiu, ali se feriu. Sangrou mãos de duro trabalho.
Crianças precisam trilhar aquele íngreme caminho.
Gestantes derrapam em caminhadas ingratas, por vezes sobre escorregadias pedras, muito mais traiçoeiras que as pedras históricas, covardemente arrancadas, comercializadas, objetos de obscuras barganhas.
Ah! Eu falo aqui dos arredores do antigo matadouro.
A saudade dos velhos dias daquele local, poderia ser suprida por certos cuidados de infraestrutura com aquela terra e com a sua gente.
Sabemos que mesmo diante da falta de visibilidade da obra, a necessidade permanece firme e forte.
Mas a pergunta é: a quem convém?
Por quais motivos se pode barganhar patrimônio público (se os comentários são inverídicos, em função de quê não se investigou?), mas não se pode viabilizar um trecho tão curto?
Minha desconfiança se sobrepõe à minha esperança.
Se uma rua histórica pode ser depredada e descaracterizada, por sinal com material duvidoso, dada às necessidades de reparos constantes, em relação ao curto tempo em que lá está o asfalto; em razão de quê interesses as imediações do antigo matadouro não podem passar por manutenção decente e definitiva?
E eu me pego aqui pensando... pensando...
Vou me questionando...
E vou duvidando... cada vez mais duvidando...
As contradições vão se erguendo...
O tempo vai passando... o descrédito generalizado aumentando...
As instituições se desmoralizando...

                                                             guardiadelendas.blogspot.com
                                                             Célia Motta,
                                                              cidadã guedense. 










quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Era uma vez, nas ruas de um pequeno recôndito...

Chamava a atenção num pequeno principado, que tantos canários cantassem desde muito cedo até o fim do dia, no pequeno palácio do lacaio regente do principado, alegrando o lacaio, dando suporte às idéias do lacaio, enquanto uma cotovia solitária, deixava as ruas do lugar impecáveis.
Qual seria a causa?
Divergências ao entoar a melodia, o canto regido e o conto ditado? Diferenças com o lacaio regente?
Os canários machos cantavam, cantavam e depois de muito cantar, descansavam em boa sombra.
Já a cotovia, mesmo cansada de sua jornada diferenciada, nunca abandonava o posto e a função. Jamais descansava, embora já exausta. Trabalhava e trabalhava... nunca faltava.
O regente seria cego? Seria débil?
Ou faltava-lhe por parte da cotovia, a bajulação?
Bajulação que a cotovia talvez não lhe dispensasse?
Então, sobrava ao lacaio regente do principado a bajulação dos canários... sem fiscalização... com vistas muito, muito grossas... com vistas à própria promoção. Promoção inescrupulosa.

                                                                             guardiadelendas.blogspot.com
                                                                             Célia Motta.

Era uma vez, um pseudo "xerife"...

Era uma vez, num pequeno recôndito, um pseudo "xerife", absolutamente equivocado quanto às suas funções.
Lacaio por definição, incauto por personalidade e limitado por excelência, dava vazão às suas sandices nesse pequeno lugar.
Lá, sentia-se o dono de uma bola, que há muito já vinha sem ar, trôpego ele, trôpega a bola, tropeçando em ilegalidades e transgressões, irresponsabilidades e segundas intenções... lá ia ele aos chutes, fazendo gols contra.
Mal acabara de ajeitar a sua chácara, mesmo frente à falta de iluminação de outras chácaras em que gente já habitava, criança já brincava, gente chegava, saía e entrava, empenhou-se o pseudo xerife em trazer a iluminação, somente para a chácara menina de seus olhos: a dele, é claro.
As outras chácaras?
Bolas, as outras não precisavam, pois nas outras ele não teria que conviver com a escuridão, ao menos não a escuridão que não fosse a dele próprio.
Nas redes sociais, lá vinha ele em interminável campanha, promovendo-se em um falso brilhantismo. Em cada oportunidade, era o oportunismo que ocasionava o marketing pessoal.
Isolado das instituições, lá ia ele, por vezes sorrateiro, por vezes frenético e dono de uma razão que nunca teve.
Calando e enterrando as boas iniciativas que o antecederam, subornando memórias e dores alheias.
É o politiqueiro de quinta categoria, provando a inaptidão para a administração. É o caos do descaso público dando corpo ao dono da bola!
Dono da bola?

                                                                               guardiadelendas.blogspot.com
                                                                                Célia Motta.

terça-feira, 11 de junho de 2019

"THE INTERCEPT BRASIL"

E O HERÓI NACIONAL ERA SOMENTE UM "JUIZINHO" OPORTUNISTA, SERVINDO OS INTERESSES PODRES DE GRANDES ESPECULADORES FINANCEIROS E ARDILOSOS CALOTEIROS, POUQUÍSSIMO VERSADO NA SUA PRÓPRIA LÍNGUA; CURIOSAMENTE DANDO RESPALDO A UM CANDIDATO DE IGUAL FALTA DE VALOR...
É A NOSSA ESTRANHA NAÇÃO!
THE INTERCEPT BRASIL, MAIS IMPERDÍVEL DO QUE NUNCA.

                                                                          guardiadelendas.blogspot.com
                                                                           Célia Motta.

sexta-feira, 31 de maio de 2019

AS MANIFESTAÇÕES DO DIA 30 DE MAIO DE 2019

Eu que já me imaginava totalmente esvaziada de esperança pelo Brasil, sinto novamente o orgulho e o entusiasmo de ter nascido nesse solo indígena.
Orgulho de ter nascido negra e mulher.
Entusiasmo de carregar no sangue, a necessidade de quebrar os paradigmas da desigualdade social e econômica.
Sede de lutar contra arrogantes, preconceituosos e mentirosos.
Vontade de fazer valer a Constituição e a Soberania da Pátria e do Povo.
As aglomerações de ontem, para mim, podem ser comparadas à Luzes!
Luzes de esclarecimento e consistência. Luzes de Consciência.
Isso se deve à mais nobre categoria de uma Nação: os Estudantes. São os que movem de fato o mundo, os conceitos, os padrões e a evolução.
O poder dos livros e dos sorrisos nas ruas.
O poder dos gritos pela Paz.
O poder que Ilumina as trevas da hipocrisia religiosa.
Lindo demais.
Dedico todas as águas represadas de emoção e de alegria, que romperam as comportas por causa da manifestação de 30 de maio, ao meu amado e inesquecível Professor Odair Riberto Fallaci, Sociólogo e Advogado, entusiasta do Movimento Democrático, que com a sua voz ímpar, lecionando Direito Constitucional no Curso de Direito, deixou em minha alma a sua marca para todo o sempre.
O dia de ontem, certamente fê-lo sorrir atrás de sua barba. Seus pequenos olhos certamente faiscaram de euforia. E ele renasceu um pouco em mim.

                                                                         guardiadelendas.blogspot.com
                                                                         Célia Motta.

quinta-feira, 2 de maio de 2019

Quanto valem a História e a Memória? Quanto valemos nós?

Depois do meu período de luto por todas as perdas que o Distrito de Alfredo Guedes já teve, inclusive o da titularidade de sua essência, que embora ainda seja um Distrito, todos denominam de "vila" ou de "bairro", DO ROUBO DOS MÓVEIS DA ESCOLA CECÍLIA MARINS BOSI, entre tantas outras depreciações e dilapidações, me questiono qual é o valor de objetos históricos e da preservação da memória de uma localidade que pretende ser Turística (???). Senhor Secretário, por favor, fale e argumente por nós! Faça a diferença!
Com o Memorial trancado o tempo todo (faz tempo que preciso fotografar algumas peças que meus seguidores me pedem, e nunca consigo), a História vai se perdendo. Só o vejo fechado.
E sem eventos, o acervo vai morrendo aos poucos, tanto em sua força como em sua proposta efetiva de resgate. Esse tipo de trabalho exige uma constante e quase diária dedicação e divulgação (que absolutamente ninguém faz!).
Certa de que o luto já havia saído de minha alma, ocorre a PERDA DE TANTAS CASINHAS, DO NOVO BLOCO DO CDHU, POR MERA FALTA DE ESPECIFICAÇÕES NO EDITAL, AO QUE TUDO INDICA. OCORRE A PERDA DA PRIMEIRA E MAIOR DE TODAS AS NECESSIDADES DE UMA FAMÍLIA.
É o Guedes de novo ficando para trás. Será que isso não muda nem agora que temos "até" uma Secretaria?
AMBULÂNCIA? A GENTE GANHA SIM, A GENTE SOMENTE NÃO LEVA, POR FALTA DE OCORRÊNCIAS NA SAÚDE, POIS OS FATOS INDICAM QUE SOMOS APENAS NÚMEROS. NÚMEROS DE ELEITORES, NÚMEROS DE MORTES CAUSADAS POR FALTA DE SOCORRO APROPRIADO (JÁ ACONTECEU EM ALGUMAS SITUAÇÕES, NÃO POUCAS LEVANDO-SE EM CONSIDERAÇÃO A POPULAÇÃO DO DISTRITO).
Agora eu  me deparo com as imagens das pedras da rua principal do Distrito, antes linda e nostálgica, agora negra, quente, sem absorção de água e de material questionável, posto que vive precisando de reparos, apesar do pouco tempo que ali está.
Imagens tristes e desoladoras para quem consegue sensibilizar-se (evidentemente, falsos progressistas aventureiros e oportunistas não entram nesse time).


Esta imagem é a que melhor enxergamos o depósito, sem nenhum cuidado ou respeito pela História e pela Memória guedense.


Com tantos e tantos lugares PÚBLICOS no Distrito que poderiam receber esses paralelepípedos, decorando e condecorando com calçamento de época, o que vejo é o descaso com o nosso lugar, com o nosso ninho de lendas, com o berço de nossos ancestrais, transferindo tempos do passado de luta e personagens que foram primordiais para a economia e desenvolvimento da própria Lençóis Paulista, jogados, despejados num espaço qualquer da USINA DE RECICLAGEM DESATIVADA, NO MEIO DO MATO, como se sua valia e representação fosse zero (UAI!).
E nós, guedenses do Distrito que agora chamam de vila e de bairro, valemos quanto mesmo?
Será que devemos trajar LUTO por nossa própria desvalorização?
Talvez devamos, senhores! Talvez devamos!


                                                                             guardiadelendas.blogspot.com
                                                                             Célia Motta, cidadã guedense.

sexta-feira, 8 de março de 2019

Comemoração de quê, mesmo?

Enquanto houver a inércia do Estado, enquanto houver uma mulher espancada pelo seu companheiro, enquanto ainda houver alguém rotulando roupas ou posturas assumidas por qualquer uma de nós, enquanto houver um posicionamento político e institucionalizado, limitando o avanço em nossas causas, lutas ou diretos, NÃO SERÁ DIA INTERNACIONAL DA MULHER.
Minhas saudações às verdadeiras guerreiras dessa causa!
Todo o meu respeito, às vítimas da violência e abuso masculino, principalmente aos casos de violência emocional.
E, aproveitando a oportunidade, lembremos de Damares Alves, como um exemplo a não ser seguido e um estímulo ao sentimento de vergonha alheia.

                                                                                          guardiadelendas.blogspot.com
                                                                                          Célia Motta.
 

quinta-feira, 7 de março de 2019

História pra Ninar Gente Grande

Mangueira - Samba-Enredo 2019
Samba-Enredo

[Enredo: História pra Ninar Gente Grande]

Mangueira, tira a poeira dos porões
Ô, abre alas pros teus heróis de barracões
Dos Brasis que se faz um país de Lecis, jamelões
São verde e rosa, as multidões

Mangueira, tira a poeira dos porões
Ô, abre alas pros teus heróis de barracões
Dos Brasis que se faz um país de Lecis, jamelões
São verde e rosa, as multidões

Brasil, meu nego
Deixa eu te contar
A história que a história não conta
O avesso do mesmo lugar
Na luta é que a gente se encontra

Brasil, meu dengo
A Mangueira chegou
Com versos que o livro apagou
Desde 1500 tem mais invasão do que descobrimento
Tem sangue retinto pisado
Atrás do herói emoldurado
Mulheres, tamoios, mulatos
Eu quero um país que não está no retrato

Brasil, o teu nome é Dandara
E a tua cara é de cariri
Não veio do céu
Nem das mãos de Isabel
A liberdade é um dragão no mar de Aracati

Salve os caboclos de julho
Quem foi de aço nos anos de chumbo
Brasil, chegou a vez
De ouvir as Marias, Mahins, Marielles, malês





ARRANCANDO SOLUÇOS E LÁGRIMAS DE TODOS, A AUTENTICIDADE E A VALENTIA TOMARAM CONTA DO CARNAVAL 2019.
HÁ MUITO TEMPO EU NÃO ME DEPARAVA COM UMA EXPRESSÃO TÃO FORTE DE RESISTÊNCIA CONTRA OS ABSURDOS DO SISTEMA. MAS, COM CERTEZA, O NOVO FILME DE WAGNER MOURA NÃO FARÁ POR MENOS.
ARREPIANDO OS ENCARNADOS E OS DESENCARNADOS, EXALTANDO OS VERDADEIROS HERÓIS DE NOSSO BRASIL, DESTACANDO VERDADES SOBRE OS "HERÓIS INSTITUCIONALIZADOS", A MANGUEIRA DESLIZOU OS SEUS PASSOS SOB A PROTEÇÃO E A REVERÊNCIA DE TODOS OS ORIXÁS!
IANSÃ CORTOU VENTOS E RAIOS AO VER AS BANDEIRAS DE MARIELLE TREMULANDO JUNTO COM A BANDEIRA DO BRASIL, QUE NÃO MAIS RETRATAVA A DESORDEM E O RETROCESSO, MAS SIM AS LAMÚRIAS E PENÚRIAS IMPOSTAS PELO ESTADO AOS NEGROS, POBRES E ÍNDIOS. E EU AINDA ACRESCENTARIA AS MULHERES.
M A R A V I L H O S O ! ! !

"O   P O V O    A C I M A    D E    T U D O    E    A    R A Z Ã O    A C I M A    D E    T O D O S".

                                                                                    guardiadelendas.blogspot.com
                                                                                     Célia Motta.

SEGUEM ALGUMAS IMAGENS DO FABULOSO E HISTÓRICO DO DESFILE DA MANGUEIRA DE 2019, NUM MOMENTO EM QUE O PAÍS ESTÁ DESESPERADORAMENTE CLAMANDO POR DISCUSSÕES SÉRIAS, SEM DEMAGOGIA E FANATISMO IMPIEDOSO E RELIGIOSO.
"O POVO ACIMA DE TUDO E A RAZÃO ACIMA DE TODOS".








quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Populismo

E é mais ou menos assim que funciona:
A mão que estala o chicote é a mesma mão que "afaga" de modo torpe e sagaz. É a mesma mão que tira ou limita os direitos. É a mesma mão que se diz humanista. É a mesma mão que seduz com migalhas, sorrisos e tapinhas de "camaradagem".
Muita gente manda, mas não executa nem trabalha. A gestão, pouco importa, do mesmo modo, não chega o pão para tantas e tantas pessoas abaixo da linha da miséria, dentro da Nação (Nação!).
Ajuda humanitária para o Haiti, República do Congo, enfim... isso não interessaria aos imperialistas (lembrando a fala de Castro, em Biografia a duas Vozes, de Ignacio Ramonet). Também não serve aos subservientes que alicerçam os pilares do imperialismo, sempre a farejar a ostentação do petróleo.
Se não houvesse petróleo na Venezuela, chegaria a ajuda humanitária?
Se não há preocupação alguma com os miseráveis de nossa Pátria (mãe gentil???), como e por qual razão os governos mais suspeitos estariam tão empenhados nessa "ajuda"?
E assim segue o sistema em suas esdrúxulas mazelas:
Quem está no poder, mente que faz, o povo finge que acredita, o sistema se encharca de funcionários, cargos e chefes que nunca dizem a que vieram, até que chega um dia, que mesmo sem rombo no sistema previdenciário; chega a hora de mais uma vez o povo pagar pelos astronômicos gastos públicos, que de previdenciários passam muito longe. Pagamos pelas mordomias em todas as esferas de poder. Trabalhamos e não ganhamos. Aceitamos as esmolas pois precisamos delas, mas salário digno, somente quem manda mas não executa é quem leva.
E de quebra somos obrigados a ver um Ministra de meia pataca, falando num Deus de ignorância e vingança, que não cita o verdadeiro mito, Marielle Franco, fazendo vergonha em Genebra, como sempre. Temos que passar na garganta, um Ministro de Educação, despreparado e alienado, querendo implantar a todo custo um partido monstruoso nas escolas. O sentimento libertário, vai aos poucos adentrando a esfera da servidão, do lambe chão e da aflição. Os ditos ministérios vão trocando os valores cognitivos por pesadas correntes; correnteza sem volta.
Muita gente dizendo que manda (sabe-se lá por quais caminhos), mas de fato, nada muda.
Só embuste. Armação. Esquema. Acaba tudo em quadrilha.
E a isso chamamos Populismo, a grande ferida e a grande praga do militarismo decadente e ultrapassado.
Medo?
Ah! Não! Isso, não.
O sistema? Também não!
Enterraste o teu umbigo, descomprometido?
Mas eu não. Eu nunca.
Deixo aqui, todas as minhas reverências, aos professores de história, que são os únicos possíveis salvadores do Brasil.

                                                             guardiadelendas.blogspot.com
                                                              Célia Motta.

                                                                                           

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Dona Benedita

Quem não se recorda dessa pele de sol, por vezes brava e por outras tantas e muitas vezes sorrindo contente?
Quem não se recorda de todas as águas que jorraram sobre as suas mãos de fresco alvejar?
Quem de nós ainda não a vê, por entre nós a perambular?
Quem não presenciou essa mulher de força e luta, fazendo alquimias com as águas e as espumas de sabão, trazendo de outras dimensões as velhas e melodiosas lavadeiras das colônias, dos açudes, perdidos no tempo?
Quem não ouve os seus passos leves em nossas calçadas de outrora e de agora?
Caminha, flutua e vive... vive... ainda entre nós... ainda nossa.


Mas, o que nós ainda não tínhamos era uma imagem dela, aos 16 anos de idade, junto com o seu marido Mariano, tirada na cidade de Botucatu em Maio do anos de 1927.





Em sua cabeça, farta de asas de graúna, cantavam as antigas histórias de vôos para nós desconhecidos. Voando a graúna deixou o seu legado.
Voando, partiu em Dezembro do ano 2000, precisamente no dia 10. Ainda ouvimos os seus vôos noturnos em rasantes de magia e recomeço, envolvida em brancas nuvens de nosso céu guedense.


Aqui, os pais e uma das tias do senhor Mariano, portanto o sogro, a sogra e a cunhada de dona Benedita, da esquerda para a direita: Joana Maria Pantaleão de Lima, Antonio Pantaleão de Lima e Aparecida Pantaleão de Lima. Infelizmente, não nos foi possível identificar a cidade e o ano em que foi feito o registro fotográfico.

                                                         guardiadelendas.blogspot.com
                                                         Célia Motta.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

ANTES DO DIA 08 DE MARÇO: "O SEGUNDO SEXO"


ANTES QUE AS FALAS PITORESCAS DE DAMARES (MINISTRA QUE NÃO ME REPRESENTA E QUE ME CAUSA MUITA VERGONHA ALHEIA), VENHAM EM FORMA DE AVALANCHE SOBRE AS NOSSAS CABEÇAS DE CÉREBRO E DE FORÇA...
ANTES QUE A ORIENTAÇÃO DA RELIGIÃO PODADORA, SUFOCANTE, CASTRADORA E LETAL NOS TRAGA A MITOLOGIA BÍBLICA ARREBENTANDO COM AS NOSSAS POSSIBILIDADES, DIREITOS E ANSEIOS, NEGANDO VEEMENTEMENTE A PRÓPRIA POSIÇÃO DO CRISTO E AS SUAS IDÉIAS DE IGUALDADE ENTRE OS SERES, INDEPENDENTEMENTE DE GÊNERO...

PENSEMOS EM SIMONE DE BEAUVOIR, EM SUA CLAREZA DE PENSAMENTOS E REFLEXÕES ATEMPORAIS E INSUBSTITUÍVEIS. PENSEMOS NAS SUFRAGISTAS. PENSEMOS NO DIREITO SUPREMO E NO LIVRE ARBÍTRIO, QUE NOS FOI DADO PELO CRIADOR. SE VOCÊ NÃO ACREDITA NO CRIADOR, ÓTIMO PARA VOCÊ, POIS NÃO CORRERÁ O RISCO DE APOIAR-SE EM BOBAGENS INFANTIS, FOLCLORE, METÁFORAS SURREAIS, EM CASTIGOS ETERNOS, EM PRAGAS OU QUALQUER OUTRO TIPO DE INSANIDADE QUE OS GRANDES LÍDERES PRECISAM QUE VOCÊ ACREDITE, PARA MANTER A DESORDEM. ENTRETANTO, SE VOCÊ CRÊ, POR FAVOR, NÃO SEJA PIEGAS E NÃO RIDICULARIZE A NOSSA CATEGORIA COM FLORES, CHOCOLATES OU PERFUMES.
POR UM ÚNICO MOTIVO: NÓS QUEREMOS PLANTAR O NOSSO JARDIM DO NOSSO JEITO E NÃO QUEREMOS SUAS FLORES MACHISTAS. A FÁBRICA DOS CHOCOLATES QUEREMOS NÓS MESMAS CONDUZI-LA, COM RECHEIOS DE AÇÚCARES E DE TERNURAS. PODEM APOSTAR, NÃO PERDERÁ EM NADA COM A NOSSA CONSTRUÇÃO, COM O NOSSO COMANDO. QUANTO AOS PERFUMES, QUEREMOS EXALAR AS FRAGRÂNCIAS DE NOSSAS ESCOLHAS E DE NOSSAS VONTADES.


MULHERES E HOMENS, REFLITAM SOBRE OS LIVROS DE SIMONE, REFLITAM SE A SITUAÇÃO DE FATO MUDOU DE LÁ PARA CÁ. E SE MUDOU EM ALGUMA COISA, LEMBREM-SE DE QUE AINDA SOMOS MACHISTAS, NÃO TEMOS RELIGIOSIDADE MAS SOMENTE RELIGIÃO, GANHAMOS MENOS, TRABALHAMOS MAIS, SOMOS VISTAS COMO OBJETOS, PROVOCAMOS PAVOR POR CONTA DE NOSSA INTELIGÊNCIA, INTUIÇÃO E SENSIBILIDADE. AINDA ESCUTAMOS ABSURDOS DO TIPO: MULHER NASCEU PARA SER MÃE, MAS NUNCA OUVIMOS DIZER QUE HOMEM NASCEU PARA SER PAI. A MESMA BÍBLIA QUE APEDREJA A LIBERDADE E A CARNE DE MADALENA, E NOS FAZ PENSAR QUE ELA ESTAVA ADULTERANDO COM UM POSTE E NÃO COM UM HOMEM (JÁ QUE A PENA É IMPOSTA SOMENTE À ELA), A MESMA BÍBLIA QUE NO VELHO TESTAMENTO É UMA LIÇÃO A NÃO SER SEGUIDA, NOS CONDENA ATÉ AGORA, SE CONSTITUINDO NUM LIVRO VIOLENTO DE REGRAS PATRIARCAIS, EM QUE OS HOMENS PODEM TUDO E NÓS MULHERES NÃO PODEMOS NADA. E CONTINUARÁ NOS CONDENANDO, A MENOS QUE NÓS MESMAS EXERÇAMOS O NOSSO LIVRE ARBÍTRIO, PARA O SEXO, PARA O PRAZER, PARA A CARREIRA, E CLARO, TAMBÉM PARA ESCOLHERMOS SE QUEREMOS OU NÃO SER MÃES. A VERDADE NÃO DITA, É QUE TODOS PODEMOS ESCOLHER O CAMINHO QUE NOS CONVÉM.

TODA A HIPOCRISIA QUE RONDA A CRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO, SERVE APENAS AOS PODEROSOS, PARA FORTALECER O MERCADO NEGRO. NINGUÉM EM SÃ CONSCIÊNCIA É A FAVOR DO ABORTO, MAS ESTAMOS PRESOS NUMA ESTATÍSTICA DE 1 MILHÃO DE ABORTOS POR ANO. SE EU QUISER PRATICAR O ABORTO, EU SEM QUEM PROCURAR E VOU PRATICÁ-LO INDEPENDENTEMENTE DE LEIS. NUNCA VI NINGUÉM SENDO APRISIONADO POR ISSO (NEM A MULHER E NEM O MÉDICO). AS MULHERES DEMASIADAMENTE POBRES MORREM EM FUNÇÃO DE UM ESTADO FALIDO QUE NEGA, EM TESE, A LEGALIZAÇÃO, QUE AS CONDENA À MORTE (COMO O VELHO E GRAÇAS A DEUS, EXTINTO TESTAMENTO).  AS RICAS, SAIBAMOS TODAS E TODOS, PAGAM PELA SEGURANÇA E HIGIENE DO ABORTO. ISSO SE APLICA TAMBÉM ÀS ESPOSAS, AMANTES (SIM, AS AMANTES QUE ELES, CONSERVADORES E MORALISTAS, MENTEM NÃO EXISTIR), AS FILHAS, AS MÃES E IRMÃS PAGAM PELO ABORTO. E AQUI EU COMPARTILHO A BRILHANTE EXPLANAÇÃO DE DÉBORA DINIZ,  DEFENDENDO A DESCRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO  https://www.youtube.com/watch?v=3dB5SSRCO1M  EM UMA ARGUMENTAÇÃO CIENTÍFICA E CONTUNDENTE. DE TUDO FOI O MELHOR QUE EU JÁ OUVI, DADO O CARÁTER CIENTÍFICO DA PESQUISA, COM AMOSTRAS E ESTATÍSTICAS DIRECIONADAS POR PERGUNTAS PRECISAS.
A BONDADE E A FRATERNIDADE DOS QUE SE DIZEM CONTRA O ABORTO É UMA SEQUENCIA VIOLENTA DE CONTRADIÇÕES: PRIMEIRO DIZEM QUE É PELA DEFESA DO SER QUE ESTÁ SENDO GERADO. EM SEGUIDA DEFENDEM A EXTINÇÃO DE SERES COM SÉRIAS ANOMALIAS (ENTÃO DAÍ PODEM LEGISLAR EM NOME DE DEUS E MATAR A CRIANÇA? A EXPRESSÃO "MATAR A CRIANÇA" É DA DRAMATIZAÇÃO DELES). MAS TEM MAIS: EM CASO DE ESTUPRO, NA OPINIÃO DA MAIORIA, ABANDONAM A DEFESA DO BEBÊ DIZENDO QUE ELE NÃO DEVE NASCER (MOMENTO EM QUE PASSAM A DEFENDER SOMENTE A MÃE). O ESTADO E A BÍBLIA CONDENAM ESSA MULHER AO CASTIGO, POR ELA SER LIVRE?
É UMA TENTATIVA PARCIAL DE APRESSAR O PROCESSO DE SANTIDADE DO ESPÍRITO?
E QUANDO É QUE O ESTADO E A BÍBLIA CONDENAM UM HOMEM QUE NÃO QUER SER PAI, QUE ABANDONA UM FILHO OU AJUDA A MULHER A ABORTAR?
NASCEM CRIANÇAS DE FORMA DESCONTROLADA EM NOSSA TERRA, APESAR DISSO NÃO AVANÇAMOS EM NADA NA QUESTÃO DA ADOÇÃO DE FILHOS E FILHAS, A LEGISLAÇÃO É TRAVADA, ATRASANDO A INCLUSÃO DOS BEBÊS NAS FAMÍLIAS ADOTANTES, E POSSIBILITANDO SOMENTE A ADOÇÃO TARDIA. NÃO É NADA PARECIDO COM O QUE VEM ARGUMENTANDO A NOBRE PARLAMENTAR JANAÍNA. ASSIM FUNCIONA A MÁQUINA ELEITOREIRA E POPULISTA, BEM AOS MOLDES DO FASCISMO. E PARA PIORAR APARECE UMA TOPEIRA ENGRAVATADA, DISCÍPULO DE CRENDICES E PUERILIDADES, INTENCIONANDO A ERRADICAÇÃO DA PÍLULA DO DIA SEGUINTE. E CADÊ O ESTADO NA HORA DE ACOLHER OS SEUS FILHOS, COMO PÁTRIA QUE DEVERIA SER?
PODEM CASTRAR À VONTADE. TUDO É UMA QUESTÃO DE FORMAÇÃO E SENSO DE LIBERDADE. QUANTO À MIM, SE UMA MENINA NEGRA E MARAVILHOSA VIER PARA MINHA ALMA E MEUS BRAÇOS, ELA SERÁ EDUCADA PARA O EXERCÍCIO DE SUA PLENA LIBERDADE. CONHECERÁ, SIM, MARX, SIMONE, SARTRE E TANTOS OUTROS GRANDES PENSADORES. POIS EU NÃO FUGIREI DESSA LUTA DENTRO DE MINHA CASA. ELA SABERÁ VER O LADO COMUNISTA DO CRISTO, SABERÁ A DISTINÇÃO ENTRE VERDADE, VALORES E PRINCÍPIOS, FRENTE ÀS ESCANDALOSAS ABERRAÇÕES DA RELIGIÃO. VESTIRÁ AZUL DESDE QUE GOSTE, PISARÁ CAMINHOS QUE INTERESSEM À ELA E NÃO OBEDECERÁ AOS CONCEITOS ULTRAPASSADOS. SUA SEXUALIDADE SERÁ RESPEITADA DA MESMA FORMA QUE EU PROTEGEREI A SUA INTEGRIDADE FÍSICA. ESCOLHERÁ SE QUER OU NÃO CASAR, SE QUER OU NÃO SER MÃE, SE QUER UMA FAMÍLIA CONSTITUÍDA SEM MARIDO, SOMENTE COM FILHOS. ESCOLHERÁ  ENTRE CARREIRA OU FAMÍLIA TRADICIONAL.

ESSA REFLEXÃO ACIMA, DE SIMONE, DEVERIA SER O NOSSO MANTRA DIÁRIO.
UM VERDADEIRO LEMA DE NOSSA BANDEIRA. UMA REVERÊNCIA ÀS IDEOLOGIAS LIBERTÁRIAS. COMO DIRIA DAMARES, SOBRE OUTRAS QUESTÕES, OBVIAMENTE, "UMA BENÇÃO". E A GENTE SEGUE RINDO EM MEIO À BATALHA, JÁ QUE A MINISTRA É UMA COMÉDIA, EMBORA DE PÉSSIMO GOSTO, MAS AINDA ASSIM, UMA COMÉDIA.


AS FUTURAS GERAÇÕES PRECISAM COMPREENDER QUE HÁ MUITO PARA SER CONQUISTADO, POIS SÃO COISAS QUE SEMPRE NOS PERTENCERAM, DESDE TEMPOS LONGÍNQUOS, QUE JÁ NÃO SÃO MAIS LEMBRADOS. QUANDO CONHECÍAMOS TODAS AS PROPRIEDADES DAS PLANTAS, CONHECÍAMOS O PODER DA NATUREZA, DA TERRA E DA LUA, ÉRAMOS BRUXAS, POSTO QUE ISSO É SER BRUXA. BRUXARIA É CONSEGUIR VIVER SEM SE DEIXAR DETERIORAR PELO PATRIARCALISMO DEVORADOR E IMPERANTE EM NOSSO MEIO, TRANSMITINDO ISSO ÀS NOSSAS  GERAÇÕES SEGUINTES. MINHA BISAVÓ BRANDINA É O MEU MAIOR EXEMPLO DE MULHER INDEPENDENTE. EM SEUS ERROS OU EM SEUS ACERTOS, ERA SEMPRE A DONA DE SUAS ESCOLHAS. MORREU EM 1961, JÁ COM MAIS DE 80 ANOS. MINHA PODEROSA BISA, ÍNDIA E BRUXA A QUEM PROCURO SEGUIR. ME RECOLHO E ACORDO COM ELA.
NÃO TEMAMOS AS FOGUEIRAS SAGRADAS! SÃO LABAREDAS QUE AUMENTAM A NOSSA CORAGEM E ILUMINAM O NOSSO ESPÍRITO. QUE A VALENTIA NOS SUSTENTE EM CADA DECISÃO. APESAR DE UMA MAIORIA ESMAGADORA QUE NÃO PENSA, PENSEMOS NÓS. CADA UMA DE NÓS, POR TODAS NÓS.

PENSEMOS EM TUDO ISSO.
REFLITAMOS SOBRE TUDO ISSO.
MUDEMOS TODA A NOSSA REALIDADE E A REALIDADE DAS NOSSAS MENINAS E MENINOS.
QUE AS CRIANÇAS NÃO DEPENDAM DAS INCLINAÇÕES DO ESTADO PARA APRENDEREM O QUE DEVEM DE FATO APRENDER.
QUE A NOSSA CONSCIÊNCIA, SEJA O NOSSO SINALIZADOR E TERMÔMETRO PARA A TRANSFORMAÇÃO DO TODO.
QUE DIANTE DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER, NENHUMA DE NÓS DIGA ALGUMA FALA TÃO VIOLENTA, COMO: "SERÁ QUE ELA NÃO DEU MOTIVO PARA APANHAR?"
QUE NENHUMA DE NÓS ADMITA A VERBALIZAÇÃO DESSE PENSAMENTO TORPE DIANTE DE NOSSAS PRESENÇAS.
O MOTIVO PARA EXPLORAR FISICAMENTE UMA FÊMEA HUMANA, É EVIDENTE: EXISTE UM HOMEM CRIMINOSO E ANORMAL PARA COMETER O DELITO. NÃO HÁ JUSTIFICATIVA PARA O ATO COVARDE, SE A MENTE OBSERVADORA FOR INTELIGENTE.

CONHEÇAMOS MELHOR, IVONE GEBARA, QUE MESMO RELIGIOSA, É INTELIGENTÍSSIMA E SENSATA. LITERATURA MAIS QUE OBRIGATÓRIA PARA OS DIAS DE HOJE. RELIGIÃO NÃO PRECISA SER EXCLUDENTE DE INTELIGÊNCIA. PARA SER RELIGIOSO NÃO HÁ QUE SER TOLO, TOSCO OU IGNORANTE (PARA NÃO DIZER INCAPAZ E SIMPLÓRIO).
PENSEMOS EM TUDO O QUE ESTÁ AÍ E AQUI PARA SER MUDADO.
COMEMOREMOS O PRÓXIMO DIA INTERNACIONAL DA MULHER COM ATITUDE E PRÁTICAS DE EMANCIPAÇÃO E LIBERTAÇÃO.
GUARDEMOS O VINHO PARA OS DIAS MELHORES, QUE CERTAMENTE VIRÃO.
PLANTEMOS O NOSSO JARDIM SECRETO ANTES DE RECEBERMOS AS FLORES E OS DOCES QUE NOS BAJULAM, ENGANAM E TIRAM O  NOSSO FOCO.
DEIXEMOS A SEXUALIDADE AFLORAR EM CADA SER, DA FORMA COMO ELA NATURALMENTE SE MANIFESTE, SEM ESCRAVIZAÇÕES NEM AMARRAS.
QUE A FORÇA DO AMOR SEJA A MESMA QUE A FORÇA DA LUTA.
ENTENDAMOS DE UMA VEZ POR TODAS QUE FEMINISMO NADA TEM DE VER COM NÃO SER FEMININA, TANTO QUE UM HOMEM COERENTE, SEMPRE SERÁ FEMINISTA, POR ENTENDER QUE SE TRATA DE UMA BUSCA PELA IGUALDADE HUMANA ENTRE TODOS. NÃO SE TRATA DE SOBRESSAIR-SE, MAS SIM DE UMA BUSCA LADO A LADO.
UM BOM EXEMPLO DISSO É O MOVIMENTO HeForShe (ELES POR ELAS) CRIADO PELA ONU PARA ENVOLVER HOMENS E MENINOS NA QUEBRA DE BARREIRAS CONTRA O MOVIMENTO DE LEVANTE DAS MULHERES.
TODAS DEVEMOS FICAR EM PÉ E NÃO ACOVARDAR JAMAIS.
SE VOCÊ ESTAVA INSEGURA, AGORA SABE QUE CASO ABRACE O FEMINISMO, NÃO ABDICARÁ DOS PRINCÍPIOS CRISTÃOS; POIS ACREDITE, QUALQUER UMA DE NÓS É MAIS CRISTÃ DO QUE O APÓSTOLO PAULO EM SUA SEVERIDADE JULGADORA E DETERMINANTE. PAULO PASSOU.
SE O SEU PONTO DE INÉRCIA ERA SER OU NÃO SER O CRISTO, UM ESPÍRITO LIBERTADOR, ACREDITE, ELE SÓ VEIO PARA QUEBRAR A VELHA ORDEM E ESTABELECER LEVEZA PARA TODOS.
SIM ÀS IDEOLOGIAS!
SIM!

        Dedico cada uma dessas linhas, à minha amiga, que amo como se fosse minha irmã mais nova:  Josi Ferreira da Silva. Inteligentíssima, esclarecida, meiga, linda e forte na sua sensibilidade, feito uma muralha. Eu quero uma filha assim, oh! Josi.

                                                                      guardiadelendas.blogspot.com
                                                                      Célia Motta.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

VISITA DE AFIFE MALUF NO NOSSO DISTRITO NA DÉCADA DE 90.





Afife e seu filho Joey nos dando  o prazer de sua visita na década de 90.


 Infelizmente, Joey já não está mais entre nós, pois sofreu um acidente fatal, de bicicleta há mais ou menos 10 anos.
 Afife ainda linda e elegante em sua última visita no nosso amado Distrito.

 Paisagem sagrada para a família Maluf(e), sem sombra de dúvidas.
 O Dr. Miguel Alfredo, sua irmã Afife e seu sobrinho Joey.
 Afife em frente da casa que a acolheu na sua infância, nos tempos de seus pais Miguel e Salime.
 Dr. Miguel exalando sorrisos e simpatia, como sempre

 Isso é o que eu chamo de uma fotografia de resgate de memórias: Afife, tendo ao seu lado o saudoso "Farofa" de camisa preta e chapéu, na sequencia: o sr. Zacharias, Abramo Vagula e Joey.

Conversa que deve ter valido demais a pena...


Mais uma vez, agradeço ao Charlie por sua preocupação em ilustrar com tamanha beleza o nosso blog, disponibilizando a partilha de seu acervo pessoal.

                                                                                guardiadelendas.blogspot.com
                                                                                Célia Motta.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

IMAGENS DE ALFREDO GUEDES NO ANO DE 1969

Mais nostalgia para este nosso espaço de resgate e preservação de memória.

Mais maravilhas enviadas por Charles Malouf Samaha, de seu acervo de família. Fico muito feliz e grata por aqui, sabendo que de tão longe alguém se preocupa em engrandecer a nossa imagem e o nome de nosso amado Distrito.
Obrigadíssima por estar trabalhando conosco, e nos colocar sobre ventos tão favoráveis.
Direto de St. Petersburg, o acervo de Charlie!

Naqueles dias, Alfredo Guedes era todo graça e poesia
Naqueles dias, o Distrito exalava Magia
Respirava romance, florescia
Expirava nostalgia
No compasso dessa respiração constante
Chegava outra geração, inclusive eu, nascia
E o Cateto explodia em águas
E o túnel paria outras águas
E as pedras nos assistiam, nos ouviam
Às vezes até cochichavam
Versos
Prosas
Rimas 
Canções
Mistérios
Segredos de nostalgia
Mas mais que tudo, mais que sempre, mais que nunca
Havia ali ideologia
Havia chuva que fertilizava o nosso chão
Trazendo em suas gotas e pingos
Homens de bem
Homens de brio
Homens de puro amor ao nosso chão
Naqueles dias, o nosso destino, o nosso sagrado caminho
Era o charme impregnado de passado
Cumprindo com toda a originalidade o nosso autêntico papel e vocação
Era a poeira mágica do tempo indo e vindo
Era a religiosidade e não a religião
Eram os grãos de honestidade para cada grão
Latejando em nosso coração
Servindo de alimento em cada pão
Era a história
Era a memória
Eram os paralelepípedos encantados
Era o poder da Estação
Tudo era preservação  

CÉLIA MOTTA.


  


                                                                                                                                  guardiadelendas.blogspot.com

Encantado presépio em que nasce o Cristo todos os dias. Encantado morro que se ergue todas as tardes a Ave Maria, um dia fomos reduto de olaria. Canta, Rio Lençóis, pois te escuta, Santíssima Maria. Pedro Ventura, Velha "Barde"... Alfredo Guedes Resgate !



As instalações de nossas máquinas de beneficiamento de grãos, suores escorregam pelo chão... cheiro de flor... perfumes de paixão. Tralho das belas moças da nossa região. Alfredo Guedes Coração !

Quem seriam aquelas pessoas passeando pela rua, quem seria o charreteiro carregando também perguntas e lembranças?

   Aqui, vemos de perfil a casa com a pequenina varanda, de Armando Mantovani e Lola Gasparini. Sr. Armando tinha um automóvel DKV, que todos recordam o barulho que fazia pelas nossas ruas de sonho.


Aqui um dia corria e brincava, o senhor Enio Romani. Viraram poesias as suas memórias e fantasias. Ah! Esse pasto adornado pelas águas do nosso Catetinho... José Ribeiro... Zeferino...
Trilhos de Luz, renasçam! Vivam para sempre restaurados...
Quem sabe, um dia, ainda que eu não veja,
Mas que seja !

E por essas imediações, via-se de quando em quando, o "Geraldão"! Morador de uma dessas casinhas, paraplégico e um tanto caracterizado pela constância de seu sorriso. Alfredo Guedes Memória.


    Na casa que no passado foi de Miguel, mais tarde, na época em que foi tirada esta fotografia, tornou-se a casa e o local de trabalho do casal Luis Franco  e Dora. Conhecido em nosso meio como "Luis Mascate", por conta de suas mercadorias, comercializadas sempre com muito carisma. Belíssimo, com bigodes de galã, foi mais tarde, comerciante no município de Lençóis. Faleceu assassinado já há muitos anos, deixando em nossa memória a recordação eterna de sua passagem... Alfredo Guedes Nostalgia.
Por alguma estranha peculiaridade, assassinados foram Miguel e Salim, moradores dessa casa histórica, assassinado foi o nosso companheiro Luis Franco e assassinado dentro do mesmo imóvel de fascínio, já quando funcionava ali o Bar do Vandão, nosso amigo e filho do saudoso José Domingues, sucumbia o jovem Serginho, a golpes de faca.  E assim nós todos, vamos chegando e partindo, sofrendo e superando, machucando e sendo machucados, brigando e amando, revivendo e sonhando. A vida segue o seu curso em novas e constantes oportunidades, somos recriados, redimidos e abençoados. Alfredo Guedes Dores E Amores !                         


                                       guardiadelendas.blogspot.com
                                                                                Célia Motta.