terça-feira, 26 de setembro de 2017

Tema atemporal

 Infelizmente, mesmo escrito já há tanto tempo, este livro ainda permanece pertinente e cabível na nossa realidade. Então, nesta ausência total de verdadeiros ícones que possamos chamar de modelos, em meio a um devastador lixo musical que todos os dias emerge, poluindo os nossos sentidos, vamos caminhando com a tenebrosa sensação de que tudo ainda pode piorar, já que a mudança de certos paradigmas, exige um mínimo de conhecimento popular, que sabemos não existir.
   Desprovidos de uma resistência intelectual capaz de argumentar e exigir mudanças substanciais, aceitando pequenos favores em troca de silêncio e votos, somos uma nação muitíssimo diferenciada daquela dos anos de 1960, em que imperavam o bom gosto, o senso e o juízo de valor, um imenso prezar pelos princípios e pela cultura, a valorização da ética e o repúdio pela corrupção.
   Enquanto isso, os copos vão tilintando em brindes de confusão e vergonha... sim... pois nos finais de tarde, todos bebem juntos, sem distinção de títulos ou instituições...

                                                                                   guardiadelendas.blogspot.com
                                                                                Célia Motta                           


Nenhum comentário:

Postar um comentário