quarta-feira, 20 de setembro de 2017

"Poeira do Tempo"

          Estudantes da nossa região rural. Sentado, da esquerda para a direita, vestido de branco com o
          chapéu na mão, o garotinho Julio Lourenço da Silva. Meados dos anos de 1920.

ONTEM DE MANHÃ, PEGANDO UMA DAS PASTAS DE DOCUMENTOS E FOTOS ANTIGAS DO DISTRITO DE ALFREDO GUEDES, DEI-ME  CONTA DE ALGUMAS COISAS...
QUANDO SENTI O TOQUE ÁSPERO DA POEIRA QUE ALI CAÍRA, ALGO DESPONTOU DE DENTRO DE MIM: POEIRA DO SAGRADO.
POEIRA DE UM TEMPO DISTANTE QUE TEIMA EM REGRESSAR COM SUAS MEMÓRIAS. PRESENÇAS E VOZES, SUSPIROS E RESPIRAÇÕES ALI E AQUI, CAMINHARES EM PASSOS LENTOS... ENTRANDO PELOS PORTAIS EM CHORO SAUDOSO E TERNO. ETERNO SENTIR!
EMOCIONO-ME, AGRADEÇO E LHES OFEREÇO O ABRIGO DE SUAS HISTÓRIAS, AQUI CONTADAS, CONFORTO DAS ALMAS.
DEI-ME CONTA DO QUANTO ESTE TRABALHO JUSTIFICA-SE POR SI MESMO.
SAIAS E PALETÓS SACUDINDO A POEIRA DE SEUS CAMINHARES POR LONGAS ESTRADAS DE REFAZIMENTO: DESTINO!
MÃOS SUADAS EM BUSCA DE DESEJOS ANTIGOS: AMORES!
CICATRIZES SENDO CURADAS: REDENÇÃO!
SUBMISSÃO ÀS PRÓPRIAS VONTADES: PERDÃO!
DORES E MÁGOAS SUPERADAS, ALMAS REAVIVADAS, PROVAÇÃO!
E RECEBO CADA UM DELES COM A REVERÊNCIA DE QUEM ESTÁ FRENTE A FRENTE COM A PREDESTINADA MISSÃO.
REGRESSEM, ABRACEM, FLUTUEM NO ABSTRATO E SURREAL MUNDO DAS MEMÓRIAS. AJUDEM-ME A CONDUZIR OS TRABALHOS COM A DIGNIDADE, A SERIEDADE E O RESPEITO QUE EM MIM DESPERTAM!
RENOVAÇÃO!
SOLUÇOS, ESPASMOS, RISOS SOLTOS NA IMENSIDÃO... CONDUZAM-ME!
RENASCIMENTO!
SUORES NOTURNOS, CÁLIDAS RECORDAÇÕES, LAMPEJOS DO PASSADO, SERES NOTURNOS, SENTINELAS DA NOITE... ABENÇOEM-ME!
REVOLTAS EXTINTAS, MEDOS TRANSFORMADOS, CORAGEM MANSA, BATALHA DO BOM COMBATE, ESPADA DE MIGUEL, ASAS DE ANJO, PODER DO ALTO... FORTALEÇAM-ME!
ALGUNS OLHARES ESPREITAM-ME, ALGUNS OLHARES FICAM COMIGO A VAGAR FRENTE A FRENTE... RECONHECEM-ME COMO PARTE INTEGRANTE DE SUA CASA! DIVIDEM COMIGO UM LUGAR EM SUA MESA! VINHO DA VIDA! PÃO DE COMUNHÃO ENTRE OS TEMPOS! 
SINTO GRATIDÃO E ALEGRO-ME.
SUAS ROUPAS LEVAM SEU CHEIRO DE SEMPRE. OS TECIDOS SE ROMPEM, ENVELHECERAM AS SUAS ROUPAS, MAS SEUS SEMBLANTES BRILHAM.
RASGO-ME TAMBÉM! ESCANCARO-ME POR DENTRO. UNIÃO!
BEIJO SUAS MÃOS E INCLINO-ME A TODOS ELES. SINTO-ME ENVOLVIDA POR MULHERES MÍSTICAS. SEUS CABELOS ME POSSUEM NUM ENFEITIÇADO MOMENTO QUE CARREGO PELAS NOITES ADENTRO.  A ALVURA DA SUA PELE ME DIZ PRA TER CALMA. MINHA ALMA A RECEBERÁ POR TODO O SEMPRE.
E O TEMPO CONVERSA COMIGO. VULTOS NO ESPAÇO A BAILAR. FLUTUO. MINHA CABEÇA GIRA!
MAGIA!
LEMBRAM A MINHA SINA: GARIMPAR... GARIMPAR...



                                                                                                                         
                                                                                                     guardiadelendas.blogspot.com
                                                                                                     Célia Motta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário