quinta-feira, 3 de março de 2016

"A BOLSA"


OS CAMINHOS  QUE A VIDA PERCORRE QUANDO QUER ETERNIZAR UM MOMENTO, UM NOME, UMA PESSOA, UMA ATITUDE...
 A BELA Ana Alice Velozo DE OLHOS ENTUSIASMADOS E BRILHANTES, AINDA HOJE TEM ESSE MESMO OLHAR.
 AQUI COM 17 ANOS, CATIVANTE E SONHADORA, MUITO PROVAVELMENTE AINDA CONSERVAVA MUITO DE SUA INFANTILIDADE, DO SEU LADO LÚDICO E MÁGICO.
 O CASAL AQUI REGISTRADO, É O SR. LINDOLFO PINHEIRO DE FREITAS E SUA SENHORA, DONA AMALIA PINHEIRO DE FREITAS. ESTA PUBLICAÇÃO NOS MOSTRA COMO A VIDA REGE CERTAS COISAS, DE MODO MUITO PECULIAR, PARA QUE AS COISAS NÃO SE PERCAM.
 ANA ALICE ERA AINDA UMA MENINA DE 08 ANOS QUANDO ALGO MUITO EMOCIONANTE CHEGOU EM SUA VIDA, ATRAVÉS DE UMA ATITUDE DE DONA AMALIA.
 E FOI MAIS OU MENOS ASSIM QUE ACONTECEU...

 NOS RECÔNDITOS DA MEMÓRIA DA FAZENDA BOA VISTA...HÁ MUITO TEMPO... A MENINA ANTONIA, FILHA DE AMALHA E LINDOLFO FALECERA PRECOCEMENTE. OS ANOS SE PASSARAM E A VIDA CORRIA APESAR DAS SAUDADES. O TEMPO JÁ ARTICULAVA UM MODO DE ETERNIZAR A MEMÓRIA DE ANTONIA E DE SUA BREVE VIDA; JÁ PREPARAVA ALGUÉM PARA CONTAR SUA HISTÓRIA, PARA ACALENTAR O VAZIO DE SUA PERDA. AFINAL AS PERDAS SEMPRE SÃO ILUSÓRIAS. A MORTE SE REFAZ EM OUTRAS DIMENSÕES. A MORTE SE REFAZ EM VIDA, NUM RENASCER ETERNO...
 O PAI DE ANA ALICE, ERA MEADOR NO CULTIVO DE CAFÉ DA FAZENDA BOA VISTA, ERAM VIZINHOS DE AMALIA E LINDOLFO. DEPOIS DO FALECIMENTO DE SEU MARIDO, DONA AMALIA RESOLVEU DESFAZER-SE DE ALGUMAS COISAS, E PARA TANTO, CHAMOU A MÃE DE ANA ALICE PARA DAR-LHE O QUE HAVIA SEPARADO.
 ENTÃO PARA LÁ SEGUIRAM MÃE E FILHA, BUSCAR AS COISAS COM AS QUAIS FORAM PRESENTEADAS!
 JÁ PERTO DA HORA DE VOLTAR PRA CASA, DONA AMALIA CHAMOU A MENINA ANA ALICE, CHORANDO PEDIU QUE ESPERASSE UM MOMENTO... E ABRINDO UMA ANTIGA MALA DE GUARDADOS, RECORDAÇÕES, OBJETOS, LEMBRANÇAS E MEMÓRIAS; COM A REVERÊNCIA QUE SE PRESTA AOS TESOUROS DA ALMA, COM O AMOR VOANDO JUNTO AO VENTO QUE O TEMPO LEVA... TRAZ... MOVIMENTA... RECRIA...TIROU UMA BOLSA DE COURO E A SEGUROU COMO UM RELICÁRIO. DA MALA, DISPERSAVA-SE PELA CASA UM CHEIRO BOM DE INFÂNCIA A RASGAR AS MATAS DA BOA VISTA... UM LEVE PERFUME LÚDICO ADENTRAVA A CASA DE DONA AMALIA RODOPIANDO EM FESTA DE REENCONTRO!
 PEDIU A ANA QUE A LEVASSE, MAS QUE SÓ ABRISSE QUANDO CHEGASSE EM CASA.
 NO CAMINHO DE VOLTA, ANA QUESTIONAVA-SE SOBRE A EMOÇÃO DESPERTADA PELA BOLSA... O DESENCADEAR DAQUELE CHORO... E NÃO VIA A HORA DE ABRI-LA.
 JÁ EM CASA, TRATOU LOGO DE SATISFAZER A SUA CURIOSIDADE... E PARA SUA SURPRESA, LÁ DENTRO ESTAVAM GUARDADOS UM LAÇO DE FITA JÁ ENVELHECIDO... E UM CADERNO COM O ÚLTIMO DIA QUE ANTONIA FOI À ESCOLA.
 E NAS SUAS REFLEXÕES MÁGICAS DE CRIANÇA, ANA ALICE ENTENDEU COM A FANTASIA, QUE PELA REALIDADE, FORA ESCOLHIDA PARA RECEBER UM TESOURO. QUE FORA ESCOLHIDA PARA ETERNIZAR A MEMÓRIA DE ANTONIA PINHEIRO DE FREITAS. E ALI COMEÇOU A PERCEBER O QUANTO É IMPORTANTE PRESERVAR MEMÓRIAS E OBJETOS, IMAGENS E EMOÇÕES, VIDAS!
 ANA EMOCIONA-SE EM CONTAR... RELEMBRAR. SUA ADMIRAÇÃO PELOS PINHEIRO DE FREITAS PASSOU A SER UMA ENORME GRATIDÃO E CARINHO SEM FIM. ELA PASSARA A SER A GUARDADORA DE UMA IDOLATRIA BENDITA QUE SÓ AS MÃES SABEM SENTIR. PASSARA A DIVIDIR ALGO QUE SIMBOLIZAVA A FAGULHA DIVINA QUE DEUS EMPRESTA SOMENTE À MATERNIDADE.
 ... LÁ DOS RECÔNDITOS DA MEMÓRIA DA FAZENDA BOA VISTA... DE 1971... 

 CÉLIA MOTTA

 
ESTA, É ANA ALICE HOJE. UMA INCRÍVEL PARCEIRA NA BUSCA DE FATOS E DE FOTOS QUE POSSAM SER CONTADOS AQUI NA GUARDIÃ.
 
 
O CASAL AMÁLIA E LINFOLFO PINHEIRO DE FREITAS, PAIS DA MENINA ANTONIA. QUERIDÍSSIMOS E SAUDOSÍSSIMOS.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário