terça-feira, 20 de março de 2018

Para pensar...


Pairando entre o estarrecedor e o imprescindível, entretanto o mais necessário lembrete para nós, povo da nossa estranha nação. Só a verdade liberta. Só o conhecimento transforma. Só a coragem constrói.

 Reverenciando tantas Marieles, tantos Ulisses, tantos Juscelinos, Eduardos, Jangos e Tancredos. Gente que viveu para as coletividades. Gente que morreu, sempre sem convincente explicação, por amor a sua gente. Gente, que pela sua conduta e atitude diferenciada, tornou-se imortalizada. Além, é claro, daqueles que viveram e morreram no anonimato, desafiando os poderes sordidamente estabelecidos, com a ousadia no peito e o fogo nos olhos, queimando sempre para o Bem. Gente que contrariou a ordem em desordem.
Raros e insuperáveis, cada um a seu modo.
Insubstituíveis em sua área de ação.
Donos de legados de raça e emoção.
Corajosos e virtuosos, em extinção...

E o pior de tudo, é perceber ao final, que a gente sempre soube de tudo isso, desde sempre.
Já que sabemos, que não nos falte a atitude e o comprometimento.



                                                                                            guardiadelendas.blogspot.com
                                                                                            Célia Motta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário