quinta-feira, 1 de março de 2018

"Musicistas do Tempo"

Essa belezura de fotografia, carrega perfumes que eu ainda não soube definir.
Carrega traços de uma poesia esquecida no fundo de uma gaveta que perdeu-se no tempo e no espaço. Carrega a força feminina da fertilidade... creio que seja a parte feminina de Deus, o seu olhar feminino mirado pela Mãe da Sabedoria, um braço afável e manso que tudo acolhe.
Carrega traços de uma formosura indefinível, que escorrega aqui e acolá, alternando o sábio e o imprudente, o resignado e o vidente, o sagrado e o profano, o sóbrio e o insano.
Deusa mãe e benfeitora, intelectual e protetora! Santificada força Criadora!
São as meninas de Anália.
Anália bela, Anália esperança, deixando sóis e sóis entrarem por janelas por ela abertas...
Anália também criança, fertilidade de alma, encantamento e bonança...
Carrega também, traças multiplicadas pelo passar das tantas e tantas horas...
Poeira fina faz névoa em minha visão, mas pulsam todas as verdades antigas em cada retumbar do coração... levante da história em cada resgate e em cada lapidação!
Misterioso garimpo em forma de musicalidade... notas entoando emoção.
Espelhos quebrados em penteadeiras de época, ainda guardam os reflexos das moças ajeitando os longos cabelos, pintando lábios de fresca carne.
Mas o vento que tudo leva, despenteia seus cabelos, descolore a sua pintura, empalidece sua pele... as traças roem suas vestes... se vão para muito longe, embaladas pela aguda voz do vento... Em lugares longínquos sentem o perfume do último vidro evaporado sobre a penteadeira! É esse o perfume!
Eu chamo por elas, grito por cada nome de mulher, peço a força da Mãe Lua.
E aqui elas regressam, retornam de cada reduto mágico escondido pois a Vida não cessa!
E com elas ressurge Anália, regente de vidas... Eterna...
E cada moça com o seu instrumento na mão... é a música que recomeça!
                                                                           
                                                                                  guardiadelendas.blogspot.com
                                                                                   Célia Motta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário