terça-feira, 24 de abril de 2018

TEMPO MÁGICO



              Dona Ivete, a pequenina Carmen Sílvia e José Lopes.


MINHA AMIGA CARMEN SILVIA LOPES ENVIOU-ME ESTA PRECIOSIDADE DE IMAGEM: 
 CARMEN SILVIA, A PEQUENINA, SEU PAI JOSÉ ÁLVARO LOPES E SUA MÃE, A MINHA ETERNA E SÁBIA PROFESSORA, IVETE ELIAS! IVETE A QUEM DEVO TUDO QUE APRENDI. PORTANTO, MINHAS SINCERAS REVERÊNCIAS!
 O REGISTRO É DE MEADOS DOS ANOS 60. FAZENDA IRARA, FAZENDA EM QUE REPOUSAM FATOS HISTÓRICOS, O APOGEU DO CAFÉ E DA POLÍTICA PAULISTA, ETERNIZADOS NA FAMÍLIA BARROS.
 EU CREIO QUE NÃO SEI BEM O QUE DIZER TANTO DE DONA IVETE QUANTO DE ZÉ LOPES, COMO NÓS SEMPRE O CONHECEMOS.
 O CASAL FOI MUITÍSSIMO AMIGO DE MEU PAI, O MOTTA.  EU ME LEMBRO DA PERUA ALARANJADA QUE ELES TINHAM, E DE QUANDO TODOS NÓS VÍNHAMOS PARA LENÇÓIS. DONA IVETE VINHA CANTANDO COM O MEU PAI... CANTAVAM BEM... "PÉROLAS" IMORTALIZADAS NAS VOZES DE CASCATINHA E INHANA... E NOSSOS OUVIDOS RECEBIAM CASCATAS DE NOTAS MUSICAIS DO BOÊMIO POLÍTICO E SUA PARCEIRA, A CANTORA PROFESSORA. PEQUENA EM TAMANHO E COM A GRANDEZA NO TIMBRE DE SUA PODEROSA E EMOCIONADA VOZ. NOSSAS ALMAS ENCANTAVAM-SE COM AQUELAS POESIAS PARA A ALMA.
 E O ZÉ LOPES, SEMPRE PARCEIRÍSSIMO DE MEU PAI! NA MILITÂNCIA POLÍTICA E PARTIDÁRIA, NA VITÓRIA, NA DERROTA, NA "PINGUINHA” ANTES DO ALMOÇO, E OBVIAMENTE, NAS GARGALHADAS! NAQUELAS TARDES SE SOL GUEDENSE, MINHA MÃE QUE SEMPRE NOS ACOMPANHAVA, TRANSBORDAVA AS SUAS POESIAS DE SEU SILENCIOSO E SURREAL OLHAR. MINHA MÃE NUNCA PRECISOU MUITO DE PALAVRAS PARA SE EXPRESSAR, E SUAS MÚSICAS SEMPRE FORAM CANTADAS PELO SEU ESPÍRITO VIAJANTE. SUAS RESPOSTAS DE VERDADEIRO ORÁCULO SE FAZIAM NA DANÇA DE SUA RESPIRAÇÃO.
 RECORDO-ME VAGAMENTE, DE UMA PASSAGEM NOTURNA, EM QUE DONA IVETE E ZÉ LOPES COMPRARAM UM CARRO, UM OPALA DE COR ESCURA, EU CREIO, E PASSARAM EM NOSSA CASA PARA UM PEQUENO PASSEIO, QUE SALVO ENGANO, DEVE TER SIDO PARA TOMAR SORVETES.
 VIZINHOS NOSSOS, PARCEIROS INCRÍVEIS.
 MAS TANTO EU COMO MINHAS AMIGAS E AMIGOS QUE FOMOS SEUS ALUNOS, NOS FIXAMOS NA MESTRA MARAVILHOSA QUE ELA SEMPRE FOI. EXÍMIA EDUCADORA, COM O PORTUGUÊS ABSOLUTAMENTE IMPECÁVEL, COMPETENTÍSSIMA EM SALA DE AULA, IMPREGNOU-SE EM NÓS! AINDA ESTÁ AQUI DENTRO DE MIM. E ESTÁ DENTRO DOS OUTROS, CERTAMENTE.
 E EM SUAS ATIVIDADES, O CULTO À BANDEIRA TINHA REALMENTE UM IDEAL ESTADISTA, NAS POESIAS DAS COMEMORAÇÕES CÍVICAS HAVIA UMA SONORIDADE VOCAL AUSTERA E FORMAL... MAS O INESQUECÍVEL MESMO ERA QUANDO CANTAVA PRA NÓS NOS FINAIS DE AULA: "o céu mais lindo, mais cor de anil...” OUTRAS VEZES ERA "se essa rua, se essa rua fosse minha, eu mandava ladrilhar, com pedrinhas, com pedrinhas de brilhantes..." E O NOSSO AMOR PASSAVA E PASSAVA POR ESSAS RUAS DE PEDRAS HISTÓRICAS DE INESTIMÁVEL VALOR. E O CÉU MAIS LINDO, NOS ASSISTIA EM PROSAS E EM VERSOS, INDO E VOLTANDO NO TEMPO.
 E NÓS, NA SENSIBILIDADE BRUTA DE CRIANÇA, ÍAMOS EMBORA PARA AS NOSSAS CASAS, COM UM BRILHO DE ENTUSIASMO NOS OLHINHOS QUE TENTAVAM IMAGINAR O FUTURO. NA BAGAGEM DA ALMA, O ENCANTAMENTO QUE ELA DERRAMAVA, EMBEBIA AS NOSSAS EMOÇÕES MAIS CARAS!
 SEMPRE LECIONANDO EM NOSSO AMADO LUGAR, NOS DEU A HONRA E O PRIVILÉGIO DE SERMOS ALFABETIZADOS POR ELA. E DEU AO DISTRITO DE ALFREDO GUEDES, O PRESENTE DE TER ALFABETIZADO VÁRIAS GERAÇÕES.
 RECORDO-ME DE SUA ELEGÂNCIA ESCREVENDO NA LOUSA, DE BLUSA ESTAMPADA ACINTURADA POR UM CINTO DO MESMO TECIDO, SOBRE A CALÇA SOCIAL, METICULOSAMENTE BEM CORTADA.
 RECORDO-ME DE SUAS MÃOS MORENAS E LINDAS, AS UNHAS CLASSICAMENTE BEM FEITAS COM ESMALTE VERMELHO, DEBRUÇANDO-SE SOBRE NOSSAS CARTEIRAS A FAZER CORREÇÕES NOS EXERCÍCIOS. PERFEITA! AUSTERA! IMPECÁVEL!
 E EU NÃO PODERIA DEIXAR DE RESGATAR A MARAVILHA QUE ERAM OS BOLOS DE ANIVERSÁRIO QUE ELA FAZIA PARA AS FILHAS, BRILHANTES DE CONFEITOS DE BOLINHAS PRATEADAS ADORNANDO UMA MASSA LEVE, RECHEADA COM UM CREME VERMELHINHO QUE REMETIA A TODAS AS FRUTAS VERMELHAS. NUNCA MAIS COMI IGUAL.
TENHO COMIGO UM VERDADEIRO TESOURO EMOCIONAL DE GUARDADOS, QUE EM REALIDADE EU NEM ME LEMBRO, MAS MINHA MÃE AINDA ME CONTA QUE QUANDO EU NASCI, FOI A DONA IVETE QUE CUIDOU DE MEU UMBIGO DE BEBÊ, ATÉ QUE ELE CAÍSSE. TODO O SEU CUIDADO E ZELO, FORAM DADOS AOS MEUS PRIMEIROS DIAS, PERFUMANDO OS MEUS PRIMEIROS BANHOS DE ETERNA SAUDADE E INFINDÁVEL GRATIDÃO.
                            Dona Ivete, competentíssima professora do Distrito de Alfredo Guedes.

 AO SAIR DA ESCOLA CECÍLIA MARINS BOSI, A PROFESSORA IVETE SEMPRE DAVA UMA PARADINHA SOB A LINDA PRIMAVERA DA CASA DE MINHA AVÓ LAZINHA. ALI NO PORTÃO TROCAVAM UM DEDILHAR DE PROSA, AINDA ANTES DO ALMOÇO, ELA, MINHA AVÓ, MINHA MÃE E MINHA TIA NADIR.
EM NOSSAS AFINIDADES, MAIS TARDE, NA MINHA VIDA ADULTA, ADQUIRIMOS COM AS PODAS E CORTES DO PASSAR DO TEMPO, A DIFICULDADE DE FALAR DA PASSAGEM DE MEU PAI. TODAS AS VEZES QUE O FIZEMOS, CHORAMOS MUITO DE SAUDADES.
 EU DO MEU PAI. ELA DO AMIGO LEAL, DO BOÊMIO POLÍTICO QUE CANTAVA LINDAMENTE NUMA PERFEITA SINTONIA COM ELA, TODO O ARSENAL CULTURAL, IMORTALIZADO NAS VOZES DE PERLA, BELMONTE E AMARAÍ, CASCATINHA E INHANA E NELSON GONÇALVES.
 E O ZÉ, JÁ FAZ TEMPO QUE NÃO VEJO. MAS CREIO QUE NADA TENHA MUDADO EM SUA LEALDADE E BOM HUMOR DE SEMPRE. O TEMPO PASSOU, AGREGOU COISAS EM NOSSAS BAGAGENS E EM NOSSAS MEMÓRIAS.
 MAS A NOSSA ALMA SEMPRE HÁ DE DEIXAR-SE FLORIR APÓS CADA PODA QUE A VIDA DÊ.
 O AMOR NÃO PASSA PARA OS BONS. E O ENTUSIASMO NUNCA HÁ DE NOS FALTAR!
 POIS JÁ FOMOS IRREMEDIAVELMENTE CONTAGIADOS E SEDUZIDOS PELO BELO E PELO DIVINO... AGRACIADOS, TODOS NÓS! 
                                                                                          
                                                                                            guardiadelendas.blogspot.com
                                                                                            Célia Motta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário